Dissídio Coletivo 2017 – Saiba Mais

As empresas que possuem funcionários com carteira assinada possuem muitos compromissos legais que devem ser cumpridos para que não haja problemas futuros. Muitas empresas têm relação com o sindicato que as representa e que participa nas situações de negociações coletivas. Um dos compromissos que a empresa tem honrar com seus empregados é o cálculo do dissídio salarial para que assim os reajustes conforme a legislação seja mantido.

O Dissídio Salarial é um conflito dos reajustes que os salários sofrem que é solucionado juridicamente, tanto com o empregado e a empresa, quanto com os sindicatos e os trabalhadores. Se esse reajuste for solucionado sem ação jurídica, com concordância de ambas as partes ele não deve ser chamado de dissídio, mas sim de reajuste salarial. Tudo é ajustado pelo ACT – Acordo Coletivo de Trabalho, que é um conjunto de cláusulas que determinam qual é o aumento salarial até a próxima data-base, ou seja quando será determinado um acordo novo.

A categoria do trabalho reivindica o percentual de aumento do salário e também a atualização dos demais benefícios oferecidos pela empresa como auxílio-refeição e alimentação, vale transporte, plano de saúde e outros que a empresa oferece. Quando está se fazendo um acordo e as duas partes entram em um concesso o documento é homologado na Delegacia Regional do Trabalho e assim leva a punições segundo a lei caso não seja cumprido. Se por acaso o acordo não for respeitado, a Justiça do Trabalho será acionada para tentar resolver a questão.

Para calcular o dissídio o primeiro passo é identificar qual é o sindicato que representa a categoria profissional dos funcionários da empresa em questão. Depois que o sindicato for identificado você estará ciente das possíveis negociações para o reajuste próximo. Para fazer o cálculo é muito simples, peça ajuda do sindicato e saberá como vai ficar o reajuste do seu salário.

Existem alguns casos que as empresas não precisam pagar o reajuste completo para os funcionários que foram contratados depois da última-data base. Se o acordo autorizar, o funcionário receberá o proporcional ao tempo de trabalho. Existe também a possibilidade do dissídio retroativo, é só ficar atento para que a empresa cumpra com todos os seus deveres e tudo ficará certo.

É muito importante o funcionário ter um bom relacionamento com sua empresa, por isso procure sempre o melhor caminho para solucionar os empasses, evite criar dores de cabeça com a justiça, uma boa conversa sempre é uma boa solução.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*